quarta-feira, janeiro 10, 2007

TLEBS

Tenho acompanhado com a atenção possível e muita apreensão o que se tem escrito sobre a TLEBS. A apreensão aumenta depois de ler o último post do Francisco José Viegas sobre o assunto.
Quando eu andava na escola, aprendi uma gramática esquisita, em que havia sintagmas e diagramas que pareciam árvores. Nunca me serviu de nada para escrever ou interpretar melhor um texto. Não me ajudou a compreender melhor o funcionamento da língua; acho que apenas me serviu para me enfadar.
O que me serviu, e de muito, foi a gramática tradicional, que aprendia, em simultâneo, nas aulas de francês fora do ensino oficial. Aí sim, aprofundei o que tinha começado a ser ministrado na escola primária (feita até à 3ª classe antes do 25/4, note-se); sabia quais as funções das palavras nas frases, sabia dividir orações, etc, etc, etc. Sem isso, não teria aprendido francês correctamente nem teria percebido alguma coisa da gramática latina.
Ensinem nas escolas noções básicas de gramática. Expliquem aos alunos o que são sujeitos, predicados, complementos directos, indirectos, circunstanciais, etc. Ensinem a aplicar correctamente a pontuação. Usem o bom senso, e os resultados em português serão melhores!

5 comentários:

Joaquim Baptista disse...

De acordo 100%

Anónimo disse...

Olha, já ouvi falar tanto disso, e ainda não sei que raio de gramática nova é essa.
Vou ver se me informo.

Noite disse...

Olá! :)

Zu disse...

Caro Joaquim, acima de tudo é uma questão de bom senso, a meu ver; mas o bom senso é uma das coisas que falta no Min. Educação, ao que parece...

Olá, Dulce; no blog do Francisco José Viegas que cito no post há bastante informação sobre isso.

Noitinha, olá para ti também! :)

Raposa Velha disse...

Uma gracinha sobre o assunto:
A Experiência Pedagógica TLEBS
:-)