quarta-feira, janeiro 17, 2007

Para mais tarde recordar

Vejo-a da janela. Corre com o cão ao lado pelo jardim, felizes os dois. Está grande, a minha pequenina, praticamente tão alta como eu. Quando a abraço, já não tenho de me dobrar sobre ela; pelo contrário, é ela quem dobra o pescoço para apoiar a cabeça no meu ombro. O seu corpo é já o de uma mulherzinha.
Corre com o cabelo ao vento, feliz. Vejo-a da janela e verifico, uma vez mais, que não dei pelo passar do tempo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Nem eu!
Parece que tudo começou ontem. E lembro-me tão bem de um célebre álbum da kodak com fotografias de um piolho acabadinho de nascer :-)

Já estamos a caminhar para 2010. Faltam apenas três anos. Grrrrr

Joaquim Baptista disse...

São eles que nos fazem velhos

AGarcia disse...

O tempo passa tão depressa que as alegrias de hoje são as lembranças de amanhã; Mas os beijinhos, os x.corações e os olhares, ai... aqueles olhares como se fossemos as pessoas mais importantes deste mundo, são eternos e enchem-nos o peito de amor.

Anónimo disse...

E linda, linda!