quinta-feira, setembro 18, 2008

Fundamentalismo imbecil contra a obesidade

Vi no cantinho sobre a obesidade do Público on-line um mero título dizendo que a Madeira proíbe bolos de aniversário com creme nas escolas. Fiquei fula com a imbecilidade de tal medida. Bolo de aniversário leva creme, chantilly, doce de ovos, corantes e todas as demais porcarias que decoram um bolo e fazem uma criança feliz. Se as comerem apenas nessas ocasiões especiais, não lhes faz mal. Faz-lhes bem pior o leite chocolatado carregado de açúcar que, pelo menos até há 3 anos atrás, era zelosamente distribuído a todas as crianças das escolas-primárias. Porque não dar-lhes, antes, leite simples, sem açúcar? E deixar os bolos de aniversário em paz...

2 comentários:

homoclinica disse...

Por acaso eu até acho uma boa ideia. Medidas destas só pecam por serem poucas. E não é só na Madeira. Conheço um bebé que vai fazer 2 anos brevemente e no infantário (privado) já avisaram os pais que se levarem um bolo de aniversário terá de ser sem cremes nenhuns.
Todas as medidas que introduzam bons hábitos alimentares nas crianças portuguesas são bem vindas. Essa do leite achocolatado, claro que está errado ... ainda lá não chegaram. Isto é lento.
Este bebé até é bem guloso, por isso, se lhe forem criados bons hábitos alimentares, só pode ser bom. As pessoas acabam por gostar do que estão habituadas a comer.
É uma tristeza que em muitas cantinas e bares universitários não haja yogurtes magros. Para não falar em fruta! A minha nutricionista aconselhou-me a comer uma peça de fruta a meio da manhã e um yogurte magro a meio da tarde. Mas para o fazer tenho de os levar de casa! Lá, no bar, só há bolos, sandes, folhados gordurosos e bebidas açucaradas.
Nos coffe-breaks dos congressos só oferecem bolos e salgados.
Quem quiser fazer uma alimentação saudável neste país tem de carregar o próprio farnel. Assim, não é de estranhar o elevado grau de obesidade da generalidade das crianças e adultos portugueses.

Zu disse...

Olá, Homoclinica. No caso que conta, a minha experiência diz-me que aos 2 anos as crianças nem sequer gostam de doces, por via de regra; e nas festas escolares, a fatia de bolo que cabe a cada um é pequenina. Não é com isso que eles engordam, muito menos essa guloseima especial os torna obesos! O que eu gostaria era de ver as escolas preocupadas em proibir a venda de batatas fritas, aperitivos, refrigerantes e outras coisas do género; em proporcionar comida saudável; em ter para os lanches iogurtes, sanduíches, fruta, sumos naturais; e não a colocar a tónica no que constitui uma excepção à regra, como os bolos de aniversário.